MONTIEZ Rodrigues!

Amigo é coisa pra se afastar do lado esquerdo do bolso

MONTIEZ Rodrigues 1

TENHO vários amigos deficientes físicos e, na própria família, tenho irmão e sobrinha, e até mesmo um tio deficiente mental. Conviver com pessoas deficientes é um contínuo aprendizado. Ensina-nos a ser mais humildes, a ter mais respeito pelo nosso corpo e até mesmo a agradecer a algum ser superior o fato de não sermos nós o titular de alguma deficiência.

Convivi nas universidades, nos ambientes de trabalho, nos clubes que frequentei, com pessoas com diversos tipos de deficiência. Teve até um que transformou sua deficiência em eficiência.

Franklin, um ex-colega do curso de engenharia elétrica, num acidente com energia elétrica, teve uma de suas orelhas decepadas e o aparelho auditivo de seu ouvido esquerdo comprometido com as sequelas do choque, tendo sua orelha de ser cauterizada, diminuindo, portanto, sua capacidade de ouvir. Já depois de formados, quando fizemos juntos o concorridíssimo concurso para auditor fiscal da Receita Federal, eu tirei uma nota muito superior a dele, mas, como ele se inscreveu como deficiente, passou e eu sobrei. Hoje deve gozar de uma aposentadoria muito superior a minha, que só dá pra tomar Heineken. Eu deveria ter arrancado uma de minhas orelhas antes da prova. Levei tantos puxões de orelha na infância, mas nunca conseguiram arrancar uma, coisa que alterou em muito meu destino.


No entanto, há aqueles que gozam de perfeita saúde, mas se fingem de cegos para não ver, de surdos para não ouvir e de mudos para não expressar qualquer opinião. Há também os que ampliam suas deficiências para obterem privilégios à custa de outrem. Na semana passada, encontrei-me com um colega surdo-mudo, casado também com uma senhora surda-muda, que estava junto com ele. Gesticulando, chamei-os para se sentarem à minha mesa, no Bar do Carlos, na praça da Missão, para tomarmos umas cervejas e comermos alguma coisa. Era a primeira vez que me sentava num bar sem bater papo. Era gesto pra lá, gesto pra cá e eu, no meu arremedo de libras, tentando me fazer entender. Mas até ali, tudo bem, deu pra se comunicar. Foram várias Heinekens, um bode assado, picanha na chapa e outras iguarias numa conta que deu duzentos e trinta reais. Quando a conta chegou mostrei pra ele, que fez que não viu. Usei todos os gestos que simbolizassem dinheiro, grana, din-din, gaita, bufunfa e nada! Esgotando minha capacidade libriática, paguei a conta, nos despedimos e saí pensando que acabara de acrescentar mais uma deficiência, desta vez visual, a quem, àquela altura, já não era mais meu amigo. 
(via Facebook, acesso em 02ago2018)

Lembra aquele velho adágio sobre o “o pior cego é aquele que não quer ver.”. Mais uma divertida crônica do alencarino Montiez Rodrigues, ele que já nos diverte diariamente no Facebook com as suas tiradas inteligentes e muito bem-humoradas. 
Pode ser, meu amigo Montiez, que eles tenham considerado uma outra, talvez mais popular lá no meu Pará: aquela que “quem convida, paga”.
Mas esse fato lembra um ex-colega de Força Aérea, cuja vida era dedicar-se a planejar e executar caneladas, tombos, golpes, mutretas e outras vigarices.
Aproximava-se, fingindo-se amigo, e, passado algum tempo, pedia ao incauto dinheiro, cheque ou mesmo que servisse de avalista. Claro que não tinha intenção de honrar o compromisso, deixando o colega com toda a dívida. Um deles, o Braga, teve muitos incômodos por isso, chegando a receber, não só uma vez, cobradores e oficiais de justiça à sua porta com a intenção de levarem bens de valor, a fim de ressarcir as dívidas que este assumiu ao avalizar o pseudo amigo. Cabra safado! Da última vez que tive notícias, o dito já havia acumulado onze processos. Onze!
Há outras caneladas, tombos, golpes, mutretas e vigarices, que deixarei a uma crônica específica. 
L.s.N.S.J.C.! 

DEIXE um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s